SBTVP - Sociedade Brasileira de Terapia de Vida Passada


Matéria Jornal "Cruzeiro do Sul" - SBTVP SOROCABA/SP

Inserida em: 18/10/2013

Matéria Jornal
Cresce procura por terapia de vidas passadas para cura de problemas da atualidade
 
Depressão, fobias, síndrome do pânico, dores, neuroses e outros males do mundo contemporâneo podem ser resolvidos pela técnica de regressão da memória.
 
Sabe aquela fobia de elevador, de altura ou de insetos, que você não consegue controlar, mas também não sabe explicar de onde veio? Ou, ainda, aquela incapacidade de emagrecer, de falar em público ou pânico de sair às ruas, que realmente atrapalha o seu plano de vida?
Todos esses males, muitos deles manifestados com a rotina atribulada do mundo contemporâneo, podem ter cura e ela vem sendo encontrada, cada vez mais, em um tipo de abordagem da psicologia, que busca a solução do problema no próprio inconsciente humano: a terapia de vidas passadas (TVP) ou técnica de regressão da memória.
 
Renomados estudiosos da mente humana, como Freud e Jung, já mencionavam o conceito de inconsciente, mas a TVP, afirmam os especialistas, rasga os véus de uma só vida para mergulhar em outras existências, ampliando, desta forma, o conceito de inconsciente que, em última análise, é a somatória de tudo o que já vivemos e não temos consciência. A TVP parte da hipótese de que há reencarnação, ainda que não tenha nenhuma ligação com aspectos místicos ou religiosos. A abordagem vem sendo alvo de estudos científicos, no Brasil e no exterior, que indicam uma atividade alterada da área do cérebro relativa à memória durante a terapia.
 
Paralelamente às pesquisas, relatos de pacientes também reforçam a tese de que já vivemos outras vidas e que nossos problemas atuais podem estar relacionados a essas experiências passadas. A médica Cristina Haddad é um dos muitos exemplos de quem curou sua ansiedade por meio da TVP (veja depoimentos, abaixo). Assim como ela, centenas de pacientes chegam aos consultórios dos especialistas, todos os dias, cansados dos inúmeros exames de diagnóstico e tratamentos - caros por sinal –, sem nunca ter conseguido livrar-se do mesmo problema que os acompanha por longos anos.
 
De acordo com a psicóloga Dra. Norma Guidolin Lima Mariano, pós-graduada em TVP, com consultório no Campolim, em Sorocaba (SP), a técnica de regressão da memória, ainda que não ofereça riscos, deve ser realizada por profissional capacitado e com experiência na área, para que os objetivos de cura sejam atingidos. “Uma vez que as portas do inconsciente se abrem, é imprevisível o que esta por vir. É necessário ter muito critério, seriedade, cuidado e domínio da utilização da técnica”, frisa.
Segundo a especialista, com anos de estudo e experiência, a técnica não se trata de hipnose, mas de indução do paciente a um estado alterado de consciência, em que ele estará acordado e com o controle da situação. “Mesmo estando consciente, no consultório, imagens, emoções, sons, isto é, o conteúdo de outras vivências vêm à tona, independentemente de seu conhecimento histórico ou técnico dos acontecimentos”.
Outro evento intrigante que é alvo de estudos científicos é o fato de a grande maioria dos pacientes não se perceber como personalidades ou figuras famosas na história. Ao contrário, os relatos são de experiências vividas por pessoas comuns e, até mesmo, de situações de privação, sofrimento e angústia, que ninguém gostaria de imaginar.
 
O psiquiatra e presidente da Sociedade Brasileira de Terapia de Vida Passada (SBTVP), Professor Dr. Flávio Braun Fiorda, explica que não é possível conferir um caráter fútil à técnica por aqueles que a procuram, tão somente como intuito de descobrir se foram reis ou rainhas no passado ou, até mesmo, por curiosidade de saber se um parente atual também esteve presente em outras vidas. “Nosso inconsciente e a própria espiritualidade não permitem que isso aconteça. Só se vai saber o que for estritamente necessário. Porém, nem sempre, o conteúdo é aquilo que gostaríamos de ter conhecimento”, esclarece. “O que vemos, mesmo, é que nossos personagens do passado são pessoas normais, exatamente como somos hoje”.
 
Reforma íntima
 
A TVP não consiste apenas de “enxergar” o passado para resolver o presente, elucida Dra. Norma. É preciso, diz a especialista, que o psicoterapeuta capacitado auxilie o paciente na reprogramação do padrão de comportamento que ele repete desde outras vidas. “Este é objetivo do tratamento por meio da TVP: buscar no inconsciente a origem dos problemas e reprogramar a conduta para a obtenção de cura”.
A psicóloga destaca, também, que é preciso o engajamento do paciente para que haja a mudança do comportamento inadequado identificado na terapia. “O sucesso depende muito da disponibilidade do paciente em separar-se de seus ‘antigos personagens’, que são eles mesmos em outras vidas, para vivenciar a sua realidade atual, comprometendo-se com a reprogramação de antigas formas de comportamento inadequadas e que nada têm a ver com o momento presente”, ressalta Dra. Norma.
 
Experiências
 
A clínica-geral Dra. Cristina Haddad tinha problemas de ansiedade, que faziam com que exagerasse na alimentação. Buscando um tratamento eficaz, a médica foi apresentada à TVP. “Quando soube da terapia, pesquisei sobre o tema e descobri que muitos estudos apontam a eficácia do tratamento”.
Submetendo-se à terapia, Dra. Cristina encontrou caminhos para tratar sua ansiedade e alimentar-se, normalmente. “A experiência da TVP é muito boa, pois, independentemente de crença religiosa, temos a oportunidade de entrar em contato com vivências de outras vidas, que estão guardadas no nosso inconsciente e que nos ajudam na resolução de problemas, traumas e bloqueios”.
Lembranças, saudades e questionamentos, sem qualquer relação com a vida atual, eram recorrentes para a designer gráfica Janaína Pessoni. Após conhecer a TVP, ela decidiu buscar a raiz de todas as suas dúvidas. “Acredito que tivemos vidas passadas e que, hoje, somos o resultado de tudo que já vivenciamos, positiva e negativamente, em nossas existências. Utilizei a TVP como uma séria ferramenta de autoconhecimento e fortalecimento pessoal”.
A designer frisa, também, a importância de realizar o tratamento com um profissional capacitado. “Jamais fiquei receosa em fazer a terapia ou com o que poderia descobrir. A chave para que o tratamento seja eficaz parte da confiança plena no profissional que irá conduzi-la. Com a TVP, pude analisar as descobertas e, no tempo certo e com a ajuda da terapeuta, fui fazendo as devidas correlações com certos comportamentos e sentimentos meus, de antes e de agora. Acredito que as respostas para muitos questionamentos estão dentro de nós mesmos”, pontua.
 
Mais informações sobre a TVP podem ser obtidas pelo telefone (15) 3202-8716 e pelos sites: www.normazhi.com e www.sbtvp.com.br.
 
Giovana Campos - Diretora de Marketing - SBTVP